Jornalismo além da Redação


Foto: Izabela Cardoso
Foto: Izabela Cardoso

Do jornalismo de redação à informação freelancer

Por Vitória Ohana 

Nesta quarta-feira (05), a jornalista formada pelo UniBH, Fernanda Carvalho, comandou a oficina de Jornalismo ‘Além da Redação’. O bate-papo estendeu-se às expectativas, responsabilidades, desafios e oportunidades da profissão.

Atualmente, Fernanda é sócia proprietária da Agência Yellow, localizada na cidade de Lavras, em Minas Gerais. Mas, antes de se encontrar na Publicidade, a até então jornalista, contou as experiências que tivera em estágios, como, jornal impresso, produção de programas para a televisão e assessoria de imprensa.

Na opinião de Carvalho, um dos principais desafios do jornalismo contemporâneo é atuar como serviço social e usar os veículos de comunicação para transmitir ao público informações verdadeiras e claras.

“A função social dos veículos de comunicação é sobreposta pelo perfil comercial e publicitário.”

Amante da profissão, a publicitária afirma que finalmente está trabalhando em um lugar no qual pode desenvolver e colocar em prática os próprios ideais. Disse, ainda, que já foi afetada pelo ambiente onde estagiou.

“Quando se é jornalista e tem consciência da sua função social, qualquer lugar que você for trabalhar, te afeta.”

Jornalismo na Prática

“Começar com algo – mesmo que não seja na sua área – pode trazer experiência profissional e abrir portas.”

A palestrante deu dicas para alunos de diversos períodos e que estão começando a buscar por estágios na profissão.

“Mantenha contato com professores que podem indicar estágios, eles estão mais fixos na profissão e conhecem melhor o mercado.”

Foto: Izabela Cardoso
Foto: Izabela Cardoso

Jornalismo Freelancer

Durante a palestra, Fernanda proporcionou o debate sobre os desafios da vida de freelancer profissional autônomo. Entre os tópicos abordados, foi discutido os direitos trabalhistas do profissional, assim como o lucro incerto desse modo de produzir conteúdo.

Segundo a professora Adélia Fernandes, a acomodação é uma palavra que não deve existir no dia a dia deste profissional.

“O freela que espera o telefone tocar, não vai pra frente”.

É necessário, ainda segundo a professora, que os alunos invistam na produção de conteúdos onlines e façam uso das plataformas digitais disponíveis, como blogs e sites.

Fernanda acrescenta outras dicas a profissionais, que incluem o controle financeiro pessoal do jornalista freelancer, o conhecimento de mercado – análise das épocas de maior ganho, como eventos nacionais -, e o MEI (Registro de Microempreendedor Individual), que garante direitos como licença maternidade, por exemplo.

 

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *