Empreendedorismo em ação


Foto: Stephanie Morgana

Empreendedorismo em ação

Estudantes dos cursos de engenharia desenvolvem projetos autorais com o objetivo de aproximar a vida acadêmica do setor produtivo

 

Por Stephanie Morgana

Foto: Stephanie Morgana

Criado e desenvolvido, incialmente, na Universidade Federal de Ouro Preto, o Empreenda. Em Ação!, tem, como objetivo, aproximar universidades de Minas Gerais do setor produtivo, transformando projetos de pesquisa em negócios inovadores para o mercado. Para viabilizar tal ideia, o movimento envolve a comunidade acadêmica, parceiros institucionais, gestores públicos e privados.

Neste ano, o movimento expandiu as atividades para 14 instituições de ensino do estado, incluindo, o Centro Universitário de Belo Horizonte – UniBH. Frente a esse projeto, estão os professores Alan Machado e Magno André de Oliveira.

“Ao todo, sete turmas estão envolvidas com, aproximadamente, 270 alunos, contabilizando, então, cerca de 50 projetos. Destes, os três melhores serão pré-selecionados e irão passar por mais algumas etapas”, explica Alan Machado, professor do curso de Engenharia Química.

Segundo ele, os grupos que tiverem seus projetos selecionados receberão orientações tanto dos professores, quanto de profissionais que estão diretamente ligados ao empreendedorismo, como uma espécie de ‘pré-aceleração’ do negócio.

Em 2018, os finalistas – e seus projetos de destaque – serão recebidos na Grande Final do Empreenda. Em Ação!.

Conheça alguns projetos

Superconsulte

Desenvolvidos pelos estudantes Lucas Batista, Ana Luiza, Cristielle Rayane, Daniele Larissa, Gabriela Diniz e Thaís Francielle, do 8º período do curso de Engenharia de Produção, o Superconsulte é um aplicativo que auxilia na comparação de preços de produtos, em tempo real.

A ideia é que o software oferte ao usuário uma lista, por meio de ranking, apontando os produtos com os melhores preços e qual a distância do estabelecimento em relação ao ponto onde o usuário está localizado.

De acordo com Lucas Batista, um dos integrantes do grupo, o Superconsulte se diferencia dos demais por oferecer os preços em tempo real e, também, por ser alimentado, diretamente, pelo banco de dados dos próprios supermercados e não apenas por usuários. Isso aumenta a precisão dos valores apresentados.

“Imagina você ter acesso ao preço total de sua compra antes de sair de casa? Ou, então, ter um ranking com os melhores preços? O objetivo do Superconsulte é ajudar na melhor tomada de decisão pelo consumidor” – Lucas Batista, estudante de Engenharia de Produção

Vaso sanitário automatizado

Foto: Stephanie Morgana

O objetivo é diminuir o índice de contaminação por germes e outras bactérias no uso de banheiros públicos, estudantes do 8º período de Engenharia Civil, desenvolveram o projeto do vaso sanitário automatizado.

Segundo as idealizadoras, Isabela Campos, Ana Flávia Firmino, Iana D’El Rey, Kênia de Oliveira, Jéssica Gomes, Júlio César, Aline Silvia e Thaís Olinda, a ideia vai privilegiar principalmente as mulheres. Quando o usuário entra no banheiro, a privada liberaria um aromatizante.

No chão, ao lado do vaso, terá uma alavanca sob a qual o usuário irá pisar para abrir e/ou fechar a tampa. O assento, por sua vez, é revestido por um plástico que é trocado sempre que utilizado, aumentando a higienização.

Quanto à descarga, o sensor acoplado é acionado pelo tempo de uso. Abaixo de 60 segundos, a descarga é de três litros e, acima disso, é de seis litros. Contribuindo, também, na economia da água.

A ideia do grupo é trabalhar em parceria com lojas de construção civil e estabelecimentos de grande porte, como instituições de ensino, shoppings centers etc.

Oferta de água em regiões precárias

A ideia do projeto, segundo os idealizadores, é suprir a necessidade de água em regiões que não têm em abundância, por meio de uma rede eletrizada que capta água provenientes de neblina. De início, o objetivo do trabalho é auxiliar aquelas pessoas que querem economizar, principalmente, financeiramente.

De acordo com o grupo, o projeto foi desenvolvido com a intenção de captar mais água que as redes artesanais que normalmente são feitas. Esse projeto foi desenvolvido por estudantes do 3º período de Engenharia Civil, são eles: Izabelle Cristina, Daniel Silva, Bruno Dionísio, Matheus Phelipe, Carolina Ribeiro e Karoline Cândida.

 

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *