Dronalismo: o uso de drones nos veículos jornalísticos


Foto: Kália Odara
Foto: Kália Odara

Oficina proporciona aos estudantes de jornalismo uma aproximação à essa nova tecnologia que promete inovar o campo da comunicação

Por Alysson Moreira, Ana Luísa, Káila Odara, Larissa Kaliane, Luciana Cardoso e Suelen Miranda

“O drone é mais uma ferramenta na comunicação, que te permite ângulos que você não conseguiria chegar” Dany Starling

Nos últimos anos, a utilização dos drones nos veículos de comunicação vem crescendo consideravelmente. Pensando nisso, o UniBH convidou o ex-aluno e diretor de planejamento Dany Starling, para palestrar na Semana do Jornalismo a respeito da sua experiência com o equipamento.

Os drones ganharam espaço no mercado por conseguirem atingir lugares onde uma câmera normal não chegaria e, também por proporcionarem materiais de boa qualidade. Além disso, no campo jornalístico, o uso deste aparelho vem trazendo inovações na produção dos conteúdos multimídia.

Em razão desses benefícios, as emissoras de TV atualmente contratam produtoras especializadas em imagens aéreas, captadas por drones, para tornar seu trabalho mais completo e diferenciado. Dessa forma, acabam evitando transtornos causados pelo equipamento, como por exemplo, quedas ou má utilização dos pilotos.

Uma das emissoras de TV que utilizam o equipamento é a CNN (Cable News Network), empresa de comunicação norte-americana, pioneira na utilização do aparelho em seus programas diários, como por exemplo o CNN Air. No Brasil, o uso do drone começou a ser mais viável nas manifestações pró impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, em 2013, pela Folha e pela Rede Globo.

“Tem muita gente se especializando em drones e vendendo as imagens para emissoras e produtoras” afirmou Dany Starling

Hoje em dia, existem cursos de jornalismo que inseriram em sua grade curricular o ensino do uso do drone, chamado de “dronalismo”. As universidades do Missouri e de Nebraska, nos Estados Unidos, vêm se destacando nesse ensino.

Foto: Kália Odara

Riscos

Segundo Dany, o uso inconsequente do aparelho pode causar riscos às pessoas que estiverem próximas do local. Portanto, não é recomendável a utilização do drone em ambientes fechados e em eventos onde haja grande aglomeração de pessoas.

Apesar de não existir uma regulamentação acerca do uso do equipamento, segue em debate no Senado uma proposta que exige das empresas um seguro obrigatório em caso de acidentes. No entanto, para realizar a prática é preciso obter a recomendação da ANATEL (Agência Nacional de Telecomunicações), da ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) e da DECEA (Departamento de Controle e Espaço Aéreo).

Também foi discutida a questão da privacidade: afinal, até que ponto se pode chegar com o drone? É preciso que o piloto saiba dosar os seus princípios éticos para conseguir uma imagem.

Vilarejo Comunicação

Dany Starling compartilhou a sua experiência profissional e contou um pouco da história e do funcionamento da sua empresa Vilarejo Comunicação. O empreendimento que nasceu de um trabalho universitário e hoje possui mais de três anos de atuação.

Atualmente, a empresa está trabalhando em um projeto denominado Minas pelo Ar, vinculado a Secretaria de Turismo, que consiste na produção de vídeos curtos mostrando as belezas das cidades mineiras.

A Vilarejo Comunicação ocasionalmente utiliza serviços da Impactar Produções – empresa de filmagens – que também esteve presente na oficina para demonstrar aos presentes a prática da pilotagem do drone.

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *